19 fevereiro, 2006

"Adevogados"

Bom, gente, não que eu ache que advogados não tenham lá seus méritos, e coisa e tal. Mas (só podia ser em Pernambuco, mesmo) olha o que o juiz de Aliança escreveu:


"Vistos, etc... O Juiz de Direito não se confunde com a maioria dos homens. De mil Bacharéis em Direito que pretendem transformar-se em Juiz de Direito, apenas dez, cinco, um ou nenhum consegue realizar esse sonho. Esse tem sido o resultado da maioria dos concursos públicos realizados para o provimento do cargo de Juiz de Direito. Assim, apenas a minoria dos homens, a pequena fração de 0,01% dos bacharéis em Direito é capaz de moldarse, converter-se em Juiz de Direito. Portanto, o Juiz de Direito não está sujeito, exposto, aos sentimentos exagerados, como estão os outros homens em sua maioria. O Juiz de Direito emerge dentre os homens mais valentes, bravos, determinados, desasombrados, denodados, coerentes, sensatos, educados, da melhor formação, tenazes, persistentes, resistentes, idealistas, íntegros, fabulosos, gigantes em virtude, elegantes, vencedores, campeões, melhores... No desempenho de seu trabalho, nem o amor nem o ódio balizam a trajetória do Juiz de Direito. Para dá a cada um que é seu, o Juiz de Direito orienta-se apenas pelo profissionalismo e pelo senso de Justiça."



Desasombrados? Dá? Moldarse?
Isso já é suficientemente "engrasado" pra mim. Dispensa comentários.

3 comentários:

Rafael MSM disse...

Imagina se ele fosse um ancora de um telejornal falando de sua função, certamente haveria muito mais adejetivos! =P

Vimagnetal disse...

kkkkk!
Com uma concorrência dessas eu acho que me darei bem!

Leandro disse...

Já vi coisa ainda pior...
Vai ver é por isso que essa gente tão boa anda se metendo tanto em "esquemas".