17 abril, 2006

De volta à Civilização.

Estive durante a Semana Santa no sertão pernambucano. E descobri o porquê de o sertão ser tão mal desenvolvido. Lá, pasme, as pessoas não acreditam em Coelhinho da Páscoa. São pessoas más, cruéis e vis que sequer ensinam seus filhos a seguir as pegadas que o Coelho deixa pela casa. Possivelmente eles até apagam as marcas de lama que o Coelho deixa por onde passa, pessoas ordinárias. Esse tipo de gente má, cruel e vil também ensina seus filhos a ser maus, cruéis e vis, quando não os encoraja a acreditar em Coelhinho da Páscoa.
Aposto quanto quiser que eles também não acreditam em Papai Noel. Só em Nego D'Água e Nossa Senhora da Rapadura. Não via a hora de voltar a Recife. Aqui, logo na entrada da cidade, vi três Coelhinhos da Páscoa. Todos de olhos vermelhos e pêlo branquinho - o politicamente correto ainda não atingiu os Coelhinhos da Páscoa de Recife. Em Petrolina, os poucos Coelhos da Páscoa que vi tinham olhos e pêlo pretos. Alguns eram aleijados e outros eram mulheres. Fizeram um trabalho de inclusão social entre os Coelhos da Páscoa petrolinenses, céus! Aposto que eles foram sindicalizados. Suspeito, inclusive, que não eram Coelhos da Páscoa de verdade, mas Sacis-pererês fantasiados, de tão pretos e aleijados que eram. E não entregavam ovos de chocolate pra ninguém, denegriam a imagem dos pobres, dóceis e bondosos Coelhinhos, aqueles malvados, cruéis e vis Sacis-pererês fantasiados.
Mas, como diz o título deste texto, estou de volta à civilização, onde Coelhos da Páscoa ainda cumprem sua função de Coelho da Páscoa. E continuam com olhos vermelhos, pêlo branquinho e barrigudos, depois de comer uma cenoura gigante com casca e tudo.

Leitoras, comam muito chocolate esses dias, por que cenoura engorda, e não queremos vocês gordas, não é?

3 comentários:

vimagnetal disse...

"Leitoras, comam muito chocolate esses dias, por que cenoura engorda, e não queremos vocês gordas, não é?"
Isso não se faz com uma mulher!

Gustavo disse...

Vi, que bom você por aqui.

Caio disse...

Ridícula a nossa cidade natal. Ainda por cima é insuportavelmente próxima à Bahia, onde também não se acredita em coelhinho da páscoa. Pelo contrário, fizeram uma estátua de um preto sentado no rio. Decàdents.